Servidor para Inserção de Créditos em Celular Pré-Pago

 Na busca por desenvolver uma solução comercial completa e que contemple a funcionalidade de inserção de créditos de celular, encontrei esta ferramenta de integração com os sistemas das operadoras de telefonia. Segue:


O que é o ServCel?

O ServCel  realiza a comunicação entre Instituições Financeiras e a Plataforma de Pré-Pago das concessionárias de telefonia. Sua função principal é fazer transitar e registrar informações sobre as operações de recarga de aparelhos celulares pré-pagos.


Quais plataformas podem se integrar ao ServCel?

Poderão ser roteadas para o ServCel mensagens recebidas de Rede ATM, Home Banking, Caixa da Agência, etc., ou seja todos os sistemas do banco poderão ser facilmente integrados com o ServCel para a coleta de transações de recarga de telefones pré-pagos.


O ServCel funciona apenas para débito em Conta Corrente?

Não, o seu uso em conjunto com o SiTef® possibilibita a recarga do telefone também através do uso de Cartões de Crédito ou Débito, sendo que neste caso poderá ser utilizada plataforma proprietária de recarga, como central de telemarketing, lojas da rede, URA e Totens em pontos estratégicos.


Quais as Instituições Financeiras presentes no ServCel?

  • BESC
  • Banco Itaú
  • Banco Real / ABN Amro Bank
  • Banco do Brasil
  • Banese
  • Banestes
  • Banpará
  • Banrisul
  • Bradesco
  • CEF
  • Citibank
  • HSBC
  • Lemon Bank
  • Nossa Caixa
  • Santander
  • Tribanco
  • Unibanco

Quais Operadoras estão utilizando o ServCel?

  • Amazônia Celular
  • Brasil Telecom
  • Claro
  • Nextel
  • Oi
  • TIM Leste
  • TIM NE
  • TIM Sul
  • Telefônica
  • Telemig Celular
  • Vivo

Como é a Estrutura do ServCel?

O ServCel é composto por vários módulos, cada um responsável pela comunicação com uma instituição financeira ou com o servidor da Operadora de pré-pago.

 

Arquitetura

servcell


Caracteríticas Gerais

 

–   O ServCel é executado em um micro computador, em ambiente Windows NT Server 4.0, com as seguintes características, mínimas:

 

–   Processador Pentium II 400

–   128 MBytes de memória RAM

–   4 GigaBytes de disco rígido

 

–   Para contingência de hardware, sugerimos a dualização deste equipamento, utilizando uma solução hardware + software de cluster (fornecido pelo próprio fabricante, tal como HP, Compaq, Acer, etc) ou o software Vinca Standby Server.

 

–   A comunicação com as Instituições Financeiras será “on-line”, desde que esta consiga operar desta forma. Fisicamente a Operadora  poderá estar conectada à elas de duas formas:

 

–   Via uma linha dedicada ponto a ponto (LPCD)

–   Via uma linha dedicada da rede Renpac

–   Em ambos os casos de comunicação, o protocolo será o X.25.

–   Para a conexão com as linhas de comunicação, o software utilizará roteadores PathRouter, da Cyclades.

 

–   A contingência para a linha de comunicação será efetuada pelo software. Ele está preparado para operar com “n”  linhas de comunicações com cada Instituição Financeira, simultaneamente e assincronamente. Para esta contingência, cada linha tem que estar conectada a um roteador PathRouter, sendo que podem ser utilizadas as duas portas disponíveis nele para atender duas administradoras diferentes.

 

–   O padrão das mensagens utilizadas para comunicação com as Instituições Financeiras será baseado na norma  ISO-8583 (“3 pernas”), definido por cada uma delas.

 

–   A interface com o sistema  pré pago da Operadora poderá ser através de troca de arquivos ou de uma conexão TCP/IP Socket, com um aplicativo que fará as autorizações e créditos. A especificação detalhada desta interface será definida conjuntamente entre a Operadora e a Software Express.

 

–   Todas as transações efetuadas serão gravadas em Log’s diários. Serão gerados programas para emissão de relatórios, conciliações e integrações com outros sistemas, baseados nestes Log’s.

 

Comunicação ServCel e Instituições Financeiras

 

A comunicação entre o ServCel e as Instituições Fianaceiras depende de especificação a ser fornecida por estas. Normalmente ela é baseada na norma ISO-8583, que define o protocolo de comunicação entre entidades que necessitem efetuar Transferência Eletrônica de Fundos.

 

Atualmente o ServCel está homologado para operar somente com o Banco Itaú, Unibanco e Redecard. À medida em que novas Instituições Financeiras oferecerem o serviço de carga de celulares pré pagos, elas serão agregadas ao ServCel.

 

Comunicação ServCel e Sistema de Celular Pré Pago
A comunicação entre o ServCel e o Sistema de Celular Pré Pago da Operadora, deverá ser especificado por esta. Basicamente o ServCel está preparado para operar da seguinte forma :

 

 Troca de Arquivos

 

A comunicação entre ServCel e o sistema de pré pago é feita através de troca de arquivos. A transmissão de arquivos é feita através do protocolo FTP.

São 3 os tipos de arquivos transmitidos :

 

  • Arquivos de movimentos de recarga : enviados do ServCel para o servidor do sistema de pré-pago. São gerados a intervalo de tempo pré-configurado. Cada arquivo contém as informações de todas as transações de recarga realizadas no período.
  • Arquivos de resumo de recargas do dia : enviados do ServCel para o servidor do sistema de pré-pago. São gerados ao final do dia contábil, com as informações de todas as recargas realizadas no dia. Seu envio pode ser desabilitado na configuração do ServCel, caso não se deseje utilizá-lo para a conciliação das informações.
  • Arquivos de atualização de lista negra : são recebidos pelo ServCel, e contém números de telefones para serem incluídos/excluídos da lista negra.

 

É necessária a existência de 3 diretórios no sistema remoto : um diretório no o qual o ServCel vai copiar os arquivos de recarga e de resumo diário; um diretório de onde o ServCel vai ler os arquivos de atualização de lista negra ; e um diretório para onde o ServCel vai mover os arquivos de lista negra após tratá-los.

 

 Conexão TCP/IP

 

A comunicação é feita através de troca de mensagens TCP/IP Socket entre o ServCel e um aplicativo do sistema de pré pago. Este aplicativo deverá estar preparado para receber dois tipos de mensagens:

 

– Consulta de autorização de crédito para um telefone

– Crédito/Débito para um telefone

 

O aplicativo deverá estar preparado também para tratar múltiplas transações simultâneas.

 

API’s

 

A comunicação é feita através de chamadas de API’s, disponibilizadas normalmente através de uma DLL. As API’s que deverão ser disponibilizadas são:

– Consulta de autorização de crédito para um telefone

– Crédito/Débito para um telefone

A DLL deverá estar preparada para ser re-entrante, isto é, múltiplas cópias da mesma DLL estarão ativas simultaneamente.

 

Fonte:

http://www.softwareexpress.com.br/

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s