Já ouviu falar de Kepner-Tregoe?

A missão Apollo XIII ficou mundialmente conhecida como um “fracasso bem sucedido”. O filme protagonizado por Tom Hanks resgatou essa dramática história e trouxe à tona para o século XXI algumas lições importantes, inclusive no campo de resolução de problemas. O que poucos sabem é que a NASA já utilizava então uma abordagem, batizada por seus criadores de Rational Thinking, para a tomada de decisões e resolução de problemas. E o uso dessa abordagem foi crucial no desfecho feliz dessa missão.
Em 1958, os pesquisadores Charles Kepner e Benjamin Tregoe trabalhavam na RAND Corporation em um projeto de melhoria de sistema de radares da força aérea americana. Por seis meses eles acompanharam um grupo de profissionais e notaram alguns padrões de comportamento em  oficiais de comando quando deparados com problemas complexos ou forçados a tomar decisões difíceis. Após extensa pesquisa surgiu o Kepner-Tregoe (K-T) Rational Thinking, uma abordagem organizada em quatro  processos para a resolução de problemas e tomada de decisões.image
“Situation Appraisal” é um processo que visa a compreensão de uma situação na qual muitos itens causam preocupação. Cada item é listado, separado e esclarecido, e só então esses itens serão priorizados para que possamos decidir o que fazer em cada um deles. É nesse processo que também analisamos quem deveremos envolver na resolução de cada um dos itens.
Quando algum item é identificado como um problema passamos a tratá-lo com um novo processo: “Problem Analysis”. O objetivo é encontrar a verdadeira causa de cada problema para que possamos resolvê-lo definitivamente. O problema é detalhadamente especificado, causas são encontradas e testadas até que, por fim, soluções possam ser desenvolvidas.
Muitas vezes nos deparamos com situações que exigem escolhas, e, nesses casos, utilizamos um terceiro processo chamado “Decision Analysis”. Definimos o propósito da nossa escolha, os objetivos a serem alcançados e aplicamos categorias e pesos para cada objetivo. Geramos alternativas que atenderão os objetivos e analisamos a aderência de cada uma dessas alternativas aos objetivos listados. Por último, avaliamos os riscos inerentes às nossas escolhas, e então poderemos decidir de forma equilibrada qual alternativa melhor atende nossos objetivos, em vista dos riscos analisados.
No quarto processo de K-T olhamos para o futuro com o objetivo de tomar ações preventivas frente a possíveis ameaças aos nossos planos. Em “Potential Problem Analysis” procuramos prever quais problemas potenciais poderão ameaçar um plano ou ação específica. Para cada um desses problemas listamos causas potenciais e respectivas ações preventivas no sentido de eliminar ou minimizar a possibilidade de concretização desses problemas. Terminamos esse processo listando ações de contigência e seus gatilhos para cada um dos problemas potenciais e finalmente estaremos preparados para agir no pior cenário, quando não é  possível evitar o  problema potencial.
Finalmente, “Potential Opportunity Analysis” lida com oportunidades e como podemos tirar o melhor proveito dessas. Uma variante do “Potential Problem Analysis”, visa capitalizar ao máximo cada oportunidade, avaliando seus benefícios, identificando causas e tomando ações que promovam cada uma destas oportunidades.
Rational Thinking visa o uso de processos racionais, priorizando sempre os fatos e as evidências, acima das opiniões e dos sentimentos. Existe espaço para a criatividade, o conhecimento e a experiência, mas nunca em detrimento dos fatos. Profissionais treinados em K-T sabem que um dos pontos fortes dessa abordagem é a documentação de resultados de forma clara e simples. K-T tem sido utilizado com sucesso por inúmeras companhias no mundo todo por mais de 50 anos e é o único método de terceiros citado oficialmente pelo ITIL em suas publicações. Sua utilização não está restrita apenas a líderes, mas para qualquer profissional envolvido em situações que requeiram resolução de problemas e tomada de decisões.
É um método particularmente poderoso em situações de pressão e alta complexidade, nas quais o tempo é curto e as informações são escassas, condições bem conhecidas e vividas dramaticamente pela tripulação da Apollo XIII.

Para saber mais:

 

Fonte:  https://www.ibm.com/developerworks/community/blogs/tlcbr/entry/mp225?lang=en

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s