Clara Schumann

clara

 

Destacou-se não só por isso, mas também pela performance de compositores românticos da época, como Chopin e Carl Maria Von Weber.

Na adolescência iniciou um romance com Robert Schumann que na época era aluno de seu pai. Ao tomar conhecimento da ligação de Robert e Clara, Wieck ficou furioso, pois Robert tinha problemas com a bebida, o fumo e crises depressivas. Preocupado com o futuro da filha, proibiu a relação. A conseqüência foi uma longa batalha judicial, em que, após um ano de litígio, Schumann conseguiu a permissão para desposar Clara, após ela completar 21 anos.

Depois do casamento, Clara e Robert começaram uma longa colaboração, ele compondo e ela interpretando e divulgando suas composições. Clara continuou a compor, mas a vida em comum era complicada, pois ela foi forçada a parar a carreira por diversos períodos, devido às 8 gestações e, apesar de Schumann aparentemente encorajar sua criação musical, ela abdicou muitas vezes de sua carreira como compositora para promover a do marido. A situação era agravada por várias diferenças entre o casal: Clara adorava turnês, Robert as odiava; ele precisava de silêncio e tranquilidade para praticar, o que significa que Clara ficava em segundo plano, pois somente após o estudos do marido ela poderia ter suas horas de estudo.

Outro problema eram as constantes crises nervosas do marido, que fizeram Clara assumir as responsabilidades familiares sozinha. A pior crise de sua vida aconteceu quando Schumann entrou em depressão crônica, o que obrigou a família a interná-lo num manicômio, onde ficou por dois anos, até sua morte. Após 14 anos de casamento, Clara ficou sozinha com os filhos, tendo que dar aulas e apresentações para sustentar a família.

A partir daí, ironicamente, ela ficou livre para compor e dar concertos, e sua carreira finalmente se desenvolveu. A amizade comJohannes Brahms foi o principal sustentáculo nesse período, o que deu margem a fofocas de que os dois teriam um romance. Foram anos de colaboração mútua, já que os dois artistas eram defensores ferrenhos da estética romântica ligada a um padrão mais formal, e opositores de Wagner e Liszt. A amizade durou até o final da vida de Clara.

Durante certo período, Clara sofreu de uma síndrome de dor crônica, atribuída aos excessos de treinos na tentativa de executar as obras orquestrais de Brahms.1 . O tratamento multimodal realizado à época foi bem sucedido e Clara pode continuar sua carreira. Os últimos anos da compositora foram marcados por uma brilhante carreira como professora e o reconhecimento como concertista.

No dia de seu 193º aniversário, o Google promoveu um logotipo especial na sua página inicial. Google celebra 193º aniversário de Clara Schumann com Doodle

clara_schuman-2012-hp

Anúncios

E não há mais louco possível?

 

Um trecho de Além do Bem e do Mal, de Nietzsche, caiu muito bem nesse momento…

 

“Seja hedonismo, seja pessimismo, utilitarismo ou eudemonismo: todos esses modos de pensar que medem o valor das coisas conforme o prazer e a dor, são ingenuidades e filosofias de fachada… A nossa compaixão é algo mais longividente e elevado – nós vemos como o ser humano se diminui, como vocês o diminuem! (…)
Vocês querem, se possível, e não há mais louco possível, abolir o sofrimento; e quanto a nós? – parece ainda que nós o queremos ainda mais, maior e pior do que jamais foi! Bem estar, tal como vocês o entendem – isso não é um objetivo, isso nos parece um fim! Um estado que em breve torna o homem ridículo e desprezível – que faz desejar o seu ocaso! A disciplina do sofrer, do grande sofrer, – não sabem vocês que até agora foi essa disciplina que criou toda excelência humana? A tensão da alma na infelicidade, que lhe cultiva a força, seu tremor ao contemplar a grande ruína, sua inventividade e valentia no suportar, persistir, interpretar, utilizar a desventura, e o que só então foi lhe dado de mistério, profundidade, espírito, máscara, astúcia, grandeza – não lhe foi dado em meio ao sofrimento, sob a disciplina do grande sofrimento?
No homem estão unidos criador e criatura: no homem há matéria, fragmento, abundância, lodo, argila, absurdo, caos; mas no homem há também criador, escultor, dureza de martelo, deus-espectador e sétimo dia – vocês entendem essa oposição? E que a sua compaixão diz respeito à ‘criatura do homem’, ao que tem de ser formado, quebrado, rompido, forjado, queimado, encandescido, purificado, – ao que necessariamente tem de sofrer, e deve sofrer? Mas há problemas mais elevados do que a dor, prazer e compaixão… ”

 

Fonte: http://aunitasmultiplex.blogspot.com.br

 

 

O humano tagarela e a miséria de sua expressão e seu espírito

 

Emil Cioran, filósofo romeno, através do seu Breviário de Decomposição, esbanja sua visão de mundo niilista e lúcida. Antes de eu expor toda minha crítica à obra, o que pretendo em um próximo post, quero anteceder algumas citações interessantes, que vieram a calhar diante de tamanha banalização das notícias e das idéias que vem acontecendo no Facebook, ultimamente.

 

Para Emil Cioran, o homem possui “uma necessidade de ficção, de mitologia, que triunfa sobre a evidência e o ridículo”. Essa necessidade de crer ‘infestou o espírito para sempre’. “O fanatismo é uma lepra lírica que contamina as almas, as submete, as tritura ou as exalta”. Adiante, o autor afirma:
O espírito sente-se mais à vontade na companhia de um fanfarrão do que na de um mártir; e nada o repugna tanto como este espetáculo onde se morre por uma idéia”
“A loucura de pregar está tão enraizada em nós que emerge de profundidades desconhecidas ao instinto de conservação. Cada um espera seu momento para propor algo: não importa o quê. Tem uma voz: isto basta. Pagamos caro por não ser surdos nem mudos…”
“Graças a frivolidade iludimos o mundo e dissimulamos a inconveniência de nossas profundidades. Sem seus artifícios, como não envergonhar-se por ter uma alma? Nossas solidões à flor da pele, que inferno para os outros! Mas é sempre para eles, e às vezes para nós mesmos, que inventamos nossas aparências…”
E ainda, em outros trechos, o romeno explora a ‘miséria da expressão’, a qual considera a mesma ‘miséria do espírito, manifestada na indigência das palavras, em seus esgotamentos e sua degradação’.  Vale a pena acompanhar:
A história dedica-se unicamente a mudar o rosto de uma quantidade de interrogações e de soluções. O que o espírito inventa não é mais do que uma série de qualificações novas; rebatiza os elementos ou busca em seus léxicos epítetos menos gastos para uma mesma e imutável dor.Sempre se sofreu, mas o sofrimento tem sido ou ‘sublime’, ou ‘justo’, ou ‘absurdo’, segundo a visão de conjunto que o momento filosófico cultiva. A desgraça constitui a trama de tudo o que respira; mas suas modalidades evoluíram; compuseram essa sucessão de aparências irredutíveis que induzem cada indivíduo a crer que é o primeiro a sofrer assim. O orgulho desta unicidade incita-o a apaixonar-se por seu próprio mal e suportá-lo. Em um mundo de sofrimentos, cada um deles é solipsista com respeito a todos os outros. A originalidade da desgraça é devida à qualidade verbal que a isola no conjunto das palavras e das sensações…”

 

Os grandes sistemas, no fundo, são apenas brilhantes tautologias…. Só se define (algo) por desespero. É preciso uma fórmula, é preciso mesmo muitas, nem que seja para dar uma justificação ao espírito, e uma fachada ao nada… As coisas que tocamos e as que concebemos são tão improváveis quanto nossos sentidos e nossa razão; só estamos seguros em nosso universo verbal, manobrável a nosso bel-prazer, e ineficaz. O ser é mudo e o espírito tagarela… A originalidade dos filósofos se reduz a inventar termos, escolher vocábulos, desprovidos de todo o alcance metafísico. Afundamos em um universo pleonástico, onde as interrogações e as réplicas se equivalem”.
Enfim, parece que todo mundo ultimamente precisa falar um pouco mais do mesmo. Concordo com o que Cioran disse acima porque é isso que vem acontecendo ou aparecendo mais nas redes sociais, na mídia televisiva. Uma frivolidade bestial a qual idiotas batem palmas só porque imita algo novo ou é um fato dissimulado por algumas meias palavras inteligentes, bonitas e bem ajuntadas.  O homem é um ser que não se contenta em ficar quieto, e além de querer respostas para todas suas perguntas, ele quer crer e pregar…  Sempre se sofreu e se viveu, mas teimamos em ser tagarelas, em sermos seres ridiculamente crédulos e lastimavelmente tediosos com nossas ‘carcaças verbais’!

Revista Ciência e Cultura sobre o aborto

 

Recentemente lançada, a edição de abril/junho 2012 da Revista Ciência e Cultura (vol.64 no.2 São Paulo, ISSN 0009-6725), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, trata de um tema ao qual a sociedade brasileira é particularmente sensível: o aborto. A abordagem tem um sentido jornalístico forte, pois acaba de ser aprovada pelo Supremo Tribunal Federal a descriminalização do aborto de feto anencéfalo, questão há muito estudada por especialistas de diferentes áreas. O dossiê, coordenado pela bióloga Rute Maria Gonçalves de Andrade, tratou o tema sob os diferentes enfoques, seja saúde pública e da mulher, os aspectos legais e religiosos, seja a evolução das conquistas femininas no Brasil e em outros países. Como bem assinala a coordenadora, tanto o relator como os demais ministros que votaram favoravelmente destacaram o papel fundamental das contribuições científicas levadas às audiências públicas, sob o prisma da saúde pública, retirando o aborto da esfera criminal. “O que só reforça a importância e a responsabilidade da ciência e da divulgação do conhecimento em temas que dizem respeito à sociedade”,assinala Rute.

* Fonte: Editorial de Marcelo Knobel (abril 2012)

 

Abaixo, artigos para download com links a partir do site da SciELO – Scientific Electronic Library Online – bireme.br – Biblioteca Virtual em Saúde:

Continuar lendo

Os 20 Mandamentos da TI

 

 

Conta a lenda que, quando DEUS liberou o conhecimento da informática para os homens, determinou que aquele saber iria ficar restrito a um grupo muito pequeno e selecionado. Mas, neste pequeno e seleto grupo, cujos membros se achavam semi-deuses, já havia aquele que iria trair as determinações divinas, e aconteceu o pior.
William Gates, mais tarde conhecido como Bill, resolveu ganhar muito dinheiro com aquela nova revelação do Alto, e….. todos conhecem o fim da história.

 

Mas, DEUS, ao expulsar todos do laboratório de análises e pesquisas de software e hardware, lançou sobre suas cabeças e de seus descendentes as seguintes juras:

 

  1. Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
  2. Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes cinco anos de trabalho.
  3. Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais, terás úlcera.
  4. A pressa será teu único amigo e as suas refeições principais serão os lanches, as pizzas e o China in Box.
  5. Teus cabelos ficarão brancos antes do resto da população. Se te sobrarem cabelos.
  6. Não terás feriados, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
  7. Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
  8. Teu caráter será mensurado pela quantidade de certificações que tiveres.
  9. Happy hours serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contato com outras pessoas na mesma condição.
  10. A quantidade de memória e o processador de teu equipamento serão os diferenciais para que sejas bem visto ou não pelos demais.
  11. Ficarás cego, mas antes sentirás muita dor de cabeça, enxaqueca ou algo que doa muito.
  12. Terás sonhos com modelagem de dados, programação e, não raro, resolverás problemas de trabalho neste período.
  13. A máquina de café será tua melhor colega de trabalho.
  14. Trabalho será teu assunto preferido. Talvez o único.
  15. As pessoas serão divididas em dois tipos: as que entendem binário e as que não entendem. E verás graça nisso.
  16. Sentirás orgulho por tua tendinite ser mais extensa que a do peão sentado ao lado.
  17. Exibirás olheiras como troféus de guerra.
  18. A cafeína não te fará mais efeito.
  19. Terás um blog.
  20. E, inexplicavelmente, gostarás de tudo isso!

Entrevista com Betânia Ávila – Os novos desafios do feminismo

 

Diario de Pernambuco publicou a entrevista com a pesquisadora e coordenadora do SOS CORPO, Maria Betânia Ávila, que é uma das conselheiras de notório saber do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher. Leia na íntegra a “ENTREVISTA ESPECIAL // BETÂNIA ÁVILA » Os novos desafios do feminismo”.

 

ENTREVISTA ESPECIAL // BETÂNIA ÁVILA » Os novos desafios do feminismo

 

O movimento feminista ganhou novos contornos e tem transgredido de forma irreverente com o modelo patriarcal. Esse é o atual cenário da luta pelos direitos das mulheres, segundo a única representante de Pernambuco no Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM), Betânia Ávila. Empossada em maio como conselheira de notório saber em questões de gênero, a socióloga, pesquisadora e coordenadora do Instituto Feminista para a Democracia (SOS Corpo) fez um balanço de sua participação no órgão de controle social e apontou a Marcha das Vadias como o símbolo dos novos tempos dentro do movimento de gênero. Em entrevista ao Diario, além de apresentar uma análise do tom do discurso feminista atualmente, Betânia Ávila fez um balanço crítico acerca do papel do movimento na construção do debate e para a garantia dos direitos das mulheres na esfera da sexualidade e da liberdade. A feminista ainda comentou a desigualdade entre homens e mulheres no meio político em época de eleições municipais. Segundo ela, os governos precisam criar mais mecanismos no aparelho de estado para a defesa dos direitos das mulheres. A existência do Conselho que ela integra já “representa um avanço num país formado com base no pensamento patriarcal”.

Continuar lendo

Bomba: Rasura em documento oficial apaga do ‘mensalão’ pagamento à Globo (maior beneficiária)

 

 

O relatório final e oficial da CPMI dos Correios, escreve com todas as letras, nas páginas 693 e 694 que, entre as pessoas jurídicas, o maior “beneficiário” das empresas do grupo “Marcos Valério” foi o Grupo GLOBO (TV`s, rádios, jornais e revistas).

Contudo, é muito esquisito que, justamente na página 694, onde mostraria objetivamente o valor que as empresas de Marcos Valério repassaram para as Organizações Globo, a tabela foi impressa desalinhada, cortando os primeiros dígitos, de forma a tornar ilegível o verdadeiro valor pago.

Os valores desta tabela são cruciais para enxergar como foi esse tal “mensalão” como um todo, no conjunto da obra, e não pinçando seletivamente ocorrências isoladas do contexto total, e escondendo o resto, com fez o noticiário da própria Globo nestes últimos 7 anos.

É inadmissível que, com a lei do acesso à informação em vigor, o Congresso Nacional não retifique imediatamente esse relatório exposto à consulta pública deste o fim da CPI.

Confira aqui na página oficial do Senado:http://www.senado.gov.br/atividade/comissoes/cpi/relatoriofinalcorreios.asp

A tabela danificada está no volume 2 do Relatório Final. A página com numeração 694 corresponde à página física 205 no arquivo em PDF .

 

 

 

 

 

 

 

 

O Estado de S. Paulo é o primeiro jornal a admitir oficialmente, ainda que de maneira discreta, que pode não ter havido um “mensalão”

 

Balde de água fria

Por Luciano Martins Costa – Observatório da Imprensa

Estado de S. Paulo é o primeiro jornal a admitir oficialmente, ainda que de maneira discreta, que pode não ter havido um “mensalão”, ou seja, que o dinheiro supostamente desviado do erário pode ter sido usado para pagar campanhas eleitorais de candidatos que se aliaram à chapa do ex-presidente Lula em seu primeiro mandato, e não para compra de votos.
Assim, o leitor começa sutilmente a ser dirigido para a tese de que os fatos sob julgamento no Supremo Tribunal Federal teriam relação com a prática do “caixa 2”, e não com o pagamento sistemático de propina para que parlamentares apoiassem as iniciativas do governo no Congresso.
O editorial de sexta-feira (24/8) do jornalão paulista não poderia ser mais claro, ainda que escrito em forma de elipse, ao se referir a “pagamentos prometidos pelo PT a políticos de outras legendas ainda na campanha presidencial, em troca de apoio a seu candidato”.
O jornal admite que os empréstimos milionários obtidos pelo publicitário Marcos Valério poderiam ser destinados a pagar esses compromissos de campanha, e não para remunerar parlamentares pelos seus votos em favor do governo, tese que deu origem ao nome “mensalão”.

Lewandowski absolve João Paulo Cunha e provoca a corte sobre os R$ 7 milhões destinados à mídia

 

 

O ministro Lewandowski pronuncia seu voto (Foto Fellipe Sampaio, SCO/STF).

Revisor diverge do relator e pede absolvição de João Paulo Cunha

Ministro Ricardo Lewandowski afirma que a maior parte dos R$ 10,9 milhões repassados pela Câmara à agencia de Marcos Valério e sócios foi destinado ao pagamento de publicidade veiculada pela mídia. E provoca: se a corte entender que houve subcontratação ilegal de serviços, como propõe a acusação, terá que pedir ressarcimento dos R$ 7 milhões pagos aos veículos de comunicação do país. Os advogados presentes à corte acreditam que o voto de Lewandowski muda a perspectiva do julgamento.

Continuar lendo

Assassino da missionária Dorothy Mae Stang é Solto

 

 

 

Facínora será libertado com base em chicanas jurídicas. Foto: Agência Brasil 

por Leandro Fortes, em CartaCapital

Graças a um habeas corpus concedido pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, o assassino da missionária americana Dorothy Mae Stang deverá estar, ainda hoje, solto nas ruas.

Regivaldo Pereira Galvão, conhecido pela meiga alcunha de “Taradão”, estava preso desde 6 de setembro de 2011 no Centro de Recuperação de Altamira (PA), condenado a 30 anos de prisão.

Continuar lendo

“Não dá para fazer prevenção de aids sem enfrentar o debate sobre sexo, drogas e diversidade sexual”

 

 

Professora Vera Paiva:  “É absurdo a eliminação de leitos de aids em São Paulo, já que aqui o número de pessoas doentes aumentou em torno de 70%  na última década”. Foto: Arquivo pessoal

por Conceição Lemes

No dia 21/08/2012, docentes, pesquisadores, representantes da sociedade civil e instituições divulgaram o manifesto Aids no Brasil hoje: O que nos tira o sono? (íntegra, no final desta matéria).

No documento, manifestam preocupação  com a resposta à epidemia de aids no país, que tem fortalecido um senso comum de que a doença deixou de ser problema de saúde pública. Ressaltam que a epidemia se “estabilizou” em patamares altos, inaceitáveis, com indicadores negativos, que estão lhes tirando o sono:

* Aumento de 10% no número anual de óbitos. De 11.100, em 2005, foi para 12.073, em 2010. Equivale a um óbito por hora.

Continuar lendo

O país traído

 

 

 

 

 Enquanto os intelectuais que se acham os “juízes máximos da cultura popular” acham as favelas um máximo, como se elas fossem uma “arquitetura pós-moderna”, a realidade mostra que o povo não vive nelas porque quer, mas porque não tem moradia melhor.

A exclusão imobiliária é uma realidade triste, mas os “etnólogos pop” não querem saber, eles glamourizam a miséria e ainda conseguem arrancar aplausos dentro da “unanimidade burra” de suas palestras e de seus textos publicados.  Eles não entendem as desigualdades de nosso país, mas ficam se achando.

Continuar lendo

CURITIBA É A QUARTA CAPITAL EM FEMINICÍDIOS NO PAÍS

 

 

 

O Paraná é o terceiro Estado brasileiro no ranking de assassinatos de mulheres no país e Curitba está em quarto lugar entre as capitais.

A situação é bastante preocupante, em se tratando de Curitiba uma cidade considerada socialmente “mais desenvolvida”.

Mas as autoridades e os tecnocratas, sensíveis, indicam a solução imediata para o problema.

Eles já encomendaram a compra de 500 e tantos ônibus BRT com motor Volvo e piso baixo para rodarem na capital. Como se vê, para certas pessoas comprar ônibus novo em Curitiba resolve tudo. Ainda que deixe as finanças “no vermelho” dos articulados da capital paranaense.

 

 

Comitê Popular realiza ato em frente ao antigo quartel da Polícia do Exército

 

 

 

 

 

 

Além de homenagear figuras históricas como Carlos Lamarca (foto), Manoel Raimundo Soares e Alfredo Ribeiro Daudt, o Comitê avalia a Lei da Anistia, que no dia 28 completa 33 anos.

Por Vânia Barbosa

No próximo dia 28 de agosto (terça-feira), às 17h, o Comitê Popular Memória, Verdade e Justiça do RS realiza um ato na Praça Raul Pilla, onde funcionou o antigo Quartel da 6ª Companhia de Polícia do Exército, utilizado como centro de prisão e tortura durante a ditadura. A Praça se localiza na esquina da Rua Desembargador André da Rocha com a Av. João Pessoa, no centro de Porto Alegre. No Quartel passaram, entre outras, figuras históricas como o Capitão Carlos Lamarca, o Sargento Manoel Raimundo Soares e o Coronel da Força Aérea Brasileira, Alfredo Ribeiro Daudt.

 

Continuar lendo

EFICIÊNCIA DE “GERAÇÃO GOOGLE” É MITO

 

 
O que ja desconfiávamos está aqui.O google é um grande mito e que nos trará consequências, positivas ou não, mas que é mito não deixa dúvidas.Ele é um colonizador e tanto do conhecimento.Nós educadores o sabemos muito bem vivendo nosso dia a dia em sala de aula.
Paulovas
– – BBC Brasil (TA) 
Share on twitter Share on facebook
Segundo estudo da University College of London, encomendado pela British Library, os jovens adolescentes de hoje não são necessariamente eficientes em fazer pesquisas pela internet, não permanecem mais tempo online que as pessoas mais velhas e não destoam do resto da sociedade em priorizar informação rápida e digerida.

Para os pesquisadores, é preciso tomar cuidado com suposições como a de que as gerações mais jovens são mais autodidatas que gerações anteriores. 

O estudo, que tenta esclarecer como as novas tecnologias afetarão o futuro das bibliotecas, define como “geração Google” os jovens nascidos a partir de 1993, depois da popularização do microcomputador, confortáveis com as novas tecnologias e acostumados à permanente conectividade. 

“Na verdade, já somos a Geração Google: a demografia da internet e do consumo de mídia está erodindo supostas diferenças geracionais”, diz o estudo. “De certa maneira, o rótulo de Geração Google atrapalha.” 

Entre as crenças que os pesquisadores chamam de “mitos”, está a de que as novas gerações são mais eficientes que as anteriores em obter informações na internet. 

“Este é um mito perigoso. Alfabetização digital e alfabetização informativa não caminham de mãos dadas”, diz o estudo, segundo o qual muitos jovens não são capazes de filtrar o imenso arsenal de dados da rede. 

Outra inverdade sobre as novas gerações, dizem os pesquisadores, é a de que elas são mais propensas a buscar informações rápidas e digeridas que seus pais. 

A preferência por textos resumidos e buscas por palavra é “uma norma para todos”. “A sociedade (como um todo) está se emburrecendo”, diagnostica o estudo. 

Nem mesmo a crença de que as pessoas mais jovens passam mais tempo online que as pessoas mais velhas se sustenta, dizem os pesquisadores. 

Eles citam um estudo recente realizado em diversos países, que mostrou que pessoas com mais de 65 anos passam mais tempo conectadas à internet que aquelas entre 18 e 24 anos. 

Por outro lado, o estudo confirmou que a “geração Google” é afeita à prática de “copiar e colar” informações para suas pesquisas, e prefere plataformas interativas de informação que o consumo passivo delas. 

O estudo deixou em aberto a hipótese de que os jovens sejam mais capazes que seus pais de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo. 

“A questão mais ampla é saber se habilidades seqüenciais, necessárias para a leitura, também estão sendo desenvolvidas.”

Livro: Laços de Família

 

 

 

 

 

 

Publicado pela primeira vez em 1960, é um tesouro da ourivesaria literária. São treze contos, hoje tidos como clássicos. Entre eles, os festejadíssimos “Amor”, “O crime do professor de Matemática”, “O búfalo” e “Feliz aniversário”, adaptado para a televisão por Ziembinsky.

Continuar lendo