Guia Interativo de Pinos GPIO para Raspberry Pi

O guia abrangente de Pinos do GPIO para o Raspberry Pi.

Esta GPIO Pinout foi projetada para ser uma referência rápida e interativa aos pinos GPIO do Raspberry Pi, além de um guia abrangente para as interfaces GPIO do seu Raspberry Pi. Ele também inclui dezenas de pinouts para placas de expansão, HATs e pHATs do Raspberry Pi.

 

https://pinout.xyz/

Sistemas Operacionais de Tempo Real – Timers

Introdução

Estava desenvolvendo algumas idéias para um novo artigo técnico, quando encontrei perdida, no fundo de uma gaveta virtual, uma biblioteca de rotinas em C que desenvolvi há algum tempo. É uma preciosidade!!! Eu mesmo já utilizei essas funções em vários projetos. Estou aqui disponibilizando esse material para você.

Vou contar um pouco a história dessa biblioteca. Houve uma época em que o meu trabalho era focado em projetos de desenvolvimento de sistemas dedicados baseados em processadores da família 8051. Desenvolvemos uma célula de carga digital, um sistema de monitoramento ambiental, um mini CLP, um sistema de monitoramento e controle de um processo químico, sistema de controle de elevadores etc. Daí surgiu a ideia de elaborar funções e rotinas padronizadas, pois quase todos esses sistemas tinham alguma coisa em comum, como por exemplo teclas, displays etc. e deveriam operar em tempo real. O objetivo foi diminuir o tempo gasto para o desenvolvimento de um novo projeto. Antes de prosseguir, recomendo a leitura do artigo Sistemas Operacionais de Tempo Real – Introdução, onde são abordados alguns conceitos que serão aplicados neste artigo.

É necessário apresentar aqui alguns esclarecimentos a respeito da filosofia usada na elaboração dessas rotinas. Eu parti do princípio de que os nossos sistemas são de tempo real e que realizam periodicamente algumas funções rotineiras, tais como verificar um teclado, atualizar displays, administrar LEDs de sinalização, realizar medidas, etc. Outras ações são tomadas por demanda, ou seja, apenas quando ocorrem. Essas demandas podem ser periódicas ou assíncronas (aleatórias). Daí já reconhecemos o primeiro elemento a ser implementado no nosso Sistema Operacional: um temporizador (Timer). Para quem não sabe, os processadores tradicionais da família 8051 têm apenas 2 temporizadores, enquanto outras versões oferecem pelo menos mais um. Antes de continuar, acho interessante recordarmos a arquitetura dos microcontroladores da família MCS-51 e os modos de operação dos seus temporizadores. Na parte final desse artigo será desenvolvido um pequeno exemplo prático, cujo código poderá ser compilado e simulado.

TIMERS da família MCS-51

Para ilustrar o que será abordado aqui, vamos nos referenciar aos microcontroladores de fabricação da ATMEL, com a arquitetura baseada no 8051, cujo documento completo você pode consultar aqui: ATMEL 8051 Microcontrollers Hardware Manual. Na Figura 1 podemos observar a arquitetura interna de um microcontrolador AT89S8253, que continua sendo produzido, mostrando em destaque o bloco dos temporizadores.

Timers - Diagrama em blocos da arquitetura interna de um microcontrolador
Figura 1: Diagrama em blocos da arquitetura interna de um microcontrolador AT89S8253

 

Sem entrar nos detalhes referentes aos contadores / temporizadores Timer 0 e Timer 1 dessa família de microcontroladores, basta dizer que eles podem ser programados para funcionarem em 4 modos distintos de operação:

  • Modo 0: O temporizador é configurado como um contador de 13 bits, que pode receber um valor inicial e conta para cima. Na transição do valor limite superior 0x1FFF para  0x0000, é acionado um flag de sinalização;
  • Modo 1: Similar ao modo 0, porém é configurado o contador para 16 bits;
  • Modo 2: O temporizador é configurado como um contador de 8 bits, com um registro de 8 bits associado para recarregar o valor inicial automaticamente. Na transição, é acionado um flag;
  • Modo 3: Nesse modo de operação, o Timer 0 opera como 2 contadores distintos de 8 bits, enquanto o Timer 1 nesse modo de operação permite que se congele a contagem.

Convenções para o uso dos Timers

Para o objetivo de projetar uma biblioteca com rotinas padronizadas, foi definido que o Timer 0 seria o temporizador padrão do sistema e o Timer 1 também poderia ser usado para isso, se acaso não fosse necessário usá-lo para gerar baud-rate da comunicação serial.

O período de interrupção do temporizador deve ser o maior possível e baixo o suficiente para atender às necessidades prioritárias do sistema. Para que se entenda o motivo disso, observe o seguinte exemplo:

Suponhamos que:

  • Um microcontrolador que, por restrições de sua arquitetura e do oscilador (clock) utilizado, possa executar no máximo 10.000 instruções por segundo;
  • Uma rotina de interrupção provocada pelo temporizador execute 20 instruções na média a cada interrupção.

Se numa hipótese absurda o temporizador for dimensionado para gerar 500 interrupções por segundo, a rotina de interrupção vai consumir todo o tempo disponível para executar as instruções do microcontrolador (500 x 20 = 10.000)! Se por exemplo esse número puder cair para 50 interrupções por segundo, sem prejudicar a operação do sistema, a rotina de interrupção vai consumir apenas 10% do total disponível (1.000), deixando os outros 90% para as demais atividades do microprocessador.

A compreensão do que foi ilustrado nesse exemplo é fundamental. As rotinas que são executadas com maior frequência devem ser otimizadas para serem executadas no menor tempo possível e na menor frequência possível também. Voltando ao exemplo das 500 interrupções, se acaso a rotina de interrupção executasse apenas 18 instruções ao invés das 20, já sobrariam 1.000 instruções por segundo que poderiam ser executadas por outras atividades. Em muitos casos isso é suficiente. Note que para esse exemplo em particular, só analisamos uma das soluções possíveis para viabilizar a operação do sistema. Poderia-se também lançar mão de outros recursos, como por exemplo aumentar a frequência do oscilador do microcontrolador.

Assim a frequência da interrupção do nosso timer deve ser dimensionada de modo que:

  • A função que deverá ser executada com maior frequência possa ser atendida pelas interrupções do timer no menor tempo necessário para isso (e maior possível), definindo assim as especificações do timer de referência do sistema;
  • Outras temporizações mais lentas sejam realizadas como múltiplos da interrupção do timer e implementadas por meio de temporizadores virtuais de software.

Um temporizador virtual de software é uma estrutura no programa em que a cada temporizador é associado um valor inicial, que se traduz num número inteiro de interrupções do Timer 0, e um flag de sinalização. A cada interrupção do Timer 0, o temporizador de software é decrementado e testado se zero. Se for zero, é ligado o flag para avisar que a contagem de software foi terminada e o temporizador é reinicializado para o seu valor inicial. O tratamento do final de contagem é realizado no programa principal, testando-se o flag e reinicializando-o depois.

O timer de referência deverá funcionar no modo 2 de operação. Observe que a programação do Timer 0 depende da frequência de clock do microcontrolador, do fator de divisão do clock, que nas CPUs tradicionais do MCS-51 é de 12 vezes, e da frequência requerida de interrupção. Um último limitante é que o valor inicial do Timer nessa configuração é de no máximo 255 (8 bits). Na biblioteca também foi desenvolvido um padrão para a programação do Timer 1, especialmente se não for usado para gerar baud-rate.

Detalhes da Biblioteca em C

O código em C a seguir foi desenvolvido para o compilador KEIL C51 μVision, na versão de avaliação. Se você quiser testar o programa exemplo que desenvolveremos no final deste artigo, recomendo que você baixe e instale esse programa.  O arquivo de biblioteca com os trechos de código em C para a utilização dos timers de forma padronizada está dividido em segmentos. O primeiro segmento define uma série de constantes, que podem ser ajustadas conforme as especificações do projeto. Veja o trecho do código a seguir.

Nesse código há alguns parâmetros que precisam ser alterados, conforme o projeto:

  • #define   FREQUENCIA_DO_CLOCK_DA_CPU 12.0e+6 // Hz —->  12 MHz, por exemplo.

Inicializar essa constante com o valor do clock do seu microcontrolador.

  • #define   FATOR_DE_ESCALA_CLOCK_TIMER    12.0f     // Divide o clock por 12

Valor do pre-scaler.

  • #define   FREQUENCIA_DE_INTERRUPCAO_TIMER_0 5e+3  // Hz —- > 5 kHz, por exemplo.

Define a frequência da interrupção do timer.

São apenas esses três parâmetros que devem ser inicializados. Não é necessário alterar outras partes do código!

O segundo segmento da biblioteca refere-se às inicializações dos timers, conforme o modo de operação, e os comandos para iniciar a operação do temporizador. Observe que nesse segmento é mostrada a rotina principal (void main(void)) e indicado onde devem ser inseridos os trechos do código.

O terceiro segmento mostra como são definidas as rotinas de interrupção.

EXEMPLO

A seguir vamos desenvolver o nosso programa de exemplo. Nesse programa, será programado o Timer 0 no modo 2 de operação, com o microcontrolador operando com um clock de 4 MHz e uma frequência de interrupção de 1,5 kHz. Confira o código no quadro abaixo.

Se você quiser simular o programa exemplo acima e explorá-lo um pouco mais, siga os seguintes passos:

  • Instale o KEIL C51 μVision;
  • Baixe o arquivo Testa_Timer.zip;
  • Instale os arquivos de Testa_Timer.zip num diretório para testes;
  • Navegue até o diretório de testes e acione o arquivo Testa_Timer.uvproj (2 “clickes”)  (Figura 2).

Timers - Arquivos no diretório de teste
Figura 2: Arquivos no diretório de teste

Nesse instante deverá abrir o programa Keil e a tela deverá ser a retratada na Figura 3. Esse painel permite navegar no código em C, editá-lo e compilá-lo. Não é necessário fazer isso para realizar a simulação, mas você poderá posteriormente alterar alguns parâmetros do código e testar o programa com as novas alterações.

Timers - Programa Keil pronto com o programa exemplo carregado
Figura 3: Programa Keil pronto com o programa exemplo carregado

A seguir coloque o programa no modo de Debug (Figura 4, Figura 5 e Figura 6) para que se possa iniciar a simulação.

timers - Selecionando o modo Debug do programa
Figura 4: Selecionando o modo Debug do programa

Antes de entrar no modo de depuração, aparece na tela a mensagem da Figura 4. “Clicke” no  “OK” para continuar.

Timers - Aviso de que no modo de avaliação, o código fica limitado a 2K
Figura 5: Aviso de que no modo de avaliação, o código fica limitado a 2K

timers - Modo Debug de operação
Figura 6: Modo Debug de operação

 

Observe que já estão destacados os painéis de monitoramento do Timer 0 e do Port 3, cujo bit 1 deverá ser alternado a cada término de contagem do temporizador de software. As duas variáveis principais (bFlagTimerDeSoftware e nTimerDeSoftware) poderão ser monitoradas na janela Watch 1 durante a simulação.

É possível utilizar as teclas de função F11 para executar o programa passo a passo ou F5 entrar em execução. Recomendo que você inicie a simulação utilizando o passo  a passo para poder observar detalhadamente como que funciona o mecanismo de operação desse programa.

Resumo

Neste artigo técnico foram apresentados alguns conceitos relativos à utilização de temporizadores de hardware de um microcontrolador associados a temporizadores de software para a implementação de arquiteturas de software típicas de  sistemas operacionais de tempo real. Também foi apresentada e explicada uma biblioteca padronizada para a utilização dos timers de microcontroladores da família MCS-51, codificada em C, para ser compilada no programa da Keil. Depois foi desenvolvido um programa exemplo para que você possa simular o que foi apresentado e observar os detalhes dessa implementação.

Este artigo é o segundo da série de artigos que abordam algumas funções comuns em projetos de sistemas embarcados de tempo real. Confira os demais artigos (em breve).

Sistemas Operacionais de Tempo Real

Bibliotecas de funções e rotinas padronizadas em linguagem C para MCS-51

  • Timers (este artigo) – É apresentada uma biblioteca desenvolvida em linguagem C para a inicialização e o uso dos Timers do MCS-51;
  • Displays de 7 segmentos – É apresentada uma biblioteca desenvolvida em linguagem C para a inicialização e o uso em displays de 7 segmentos;
  • Teclados Matriciais – É apresentada uma biblioteca desenvolvida em linguagem C para varredura, leitura, debounce, identificação da tecla acionada e desvio para a rotina de tratamento. A forma como as rotinas foram escritas, permitem sua fácil reutilização em outros projetos;
  • Periféricos – É apresentada uma biblioteca desenvolvida em linguagem C para a inicialização e o uso de alguns periféricos, tais como conversores A/D, sensor de temperatura e memórias seriais.

Fonte: https://www.embarcados.com.br/rtos-timers/

Watts to amps calculator

Se você verificar no datasheet do equipamento a potência máxima e encontrar uma fonte com a mesma voltagem, saberá se a amperagem desta, é ou não suportada pelo aparelho.

Segue um excelente site que faz a conversão da potência para a amperagem:

Electric power in watts (W) to electric current in amps (A) calculator.

Select current type, enter power in watts, voltage in volts, power factor for AC circuit and press the Calculate button (DC = Direct Current, AC = Alternating Current):

 

Select current type: DC
AC – Single phase
AC – Three phase
Enter power in watts: W
Enter voltage in volts: V
Current result in amps: A

Amps to watts calculator ►

DC watts to amps calculation

The current I in amps (A) is equal to the power P in watts (W), divided by the voltage V in volts (V):

I(A) = P(W) / V(V)

AC single phase watts to amps calculation

The phase current I in amps (A) is equal to the power P in watts (W), divided by the power factorPF times the RMS voltage V in volts (V):

I(A) = P(W) / (PF × V(V))

The power factor of resistive impedance load is equal to 1.

AC three phase watts to amps calculation

Calculation with line to line voltage

The phase current I in amps (A) is equal to the power P in watts (W), divided by square root of 3 times the power factor PF times the line to line RMS voltage VL-L in volts (V):

I(A) = P(W) / (3 × PF × VL-L(V) )

The power factor of resistive impedance load is equal to 1.

Calculation with line to neutral voltage

The phase current I in amps (A) is equal to the power P in watts (W), divided by 3 times the power factor PF times the line to neutral RMS voltage VL-N in volts (V):

I(A) = P(W) / (3 × PF × VL-N(V) )

The power factor of resistive impedance load is equal to 1.

Typical power factor values

Do not use typical power factor values for accurate calculations.

Device Typical power factor
Resistive load 1
Fluorecent lamp 0.95
Incandescent lamp 1
Induction motor full load 0.85
Induction motor no load 0.35
Resistive oven 1
Synchronous motor 0.9

 

Watts to amps calculation ►

 

Fonte: http://www.rapidtables.com/calc/electric/Watt_to_Amp_Calculator.htm

Circuitos Eletrônicos Diversos

Circuito de Leitor de Cartão Sim

Esse é um leitor de Chip Sim de telefones celulares, ele usa um ci MAX232 para fazer a leitura do chip a partir de uma porta seria de computador. Cartão Sim é um circuito integrado do tipo smart card utilizado para identificar, controlar e armazenar dados de telefones celulares de tecnologia GSM (Global System for Mobile Communications) .
O  Cartão Sim costuma armazenar dados como informações do assinante, agenda, preferências (configurações), serviços contratados, SMS e outras informações. SIM quer dizer Subscriber Identity Module (“módulo de identificação do assinante”).
———————————————————————————————————————-

Circuito Detector de microondas

O Circuito Detector de Microondas indica a presença de radiação na gama de micro-ondas. É possível testar transmissores, celulares e qualquer aparelho nessa faixa de frequência. Esse detector tem um alcance que pode chegar a 10 m. O sinal de Microondas e captado pela antena receptora, amplificado e chega ao detector onde é emitido um sinal sonoro .
———————————————————————————————————————-

Painel solar Caseiro com Diodos

Este é um painel solar caseiro feito de diodos, tanto ele pode ser feito de diodos comuns desde que sejam em capsulas de vidro transparentes, como também podem ser feitos de LEDs. O Módulo do painel de energia solar consiste de 20 diodos, ele fornece uma tensão de 2,5 a 3 volts, e a sua corrente fica em torno de 35 mA usando luz solar direta.
O módulo é composto por quatro blocos conectados em paralelo, cada bloco de cinco diodos ligados em série. Cada diodo de é capaz de fornecer uma tensão a 0,5 volts.
———————————————————————————————————————-

Circuito Medidor de Campo de baixa frequencia LF

O Circuito acima é um Medidor de Campo de Baixa Freqüência LF, este detector foi projetado principalmente para o monitoramento de campo eletromagnético de baixa frequência e eletricidade estática perto de equipamentos, bem como a detecção de cabos de tensão, transmissores de rádio ocultos ou outros dispositivos de RF LF. O detector tem seis escala DE segmento de LED. O primeiro segmento é sempre aceso e significa que o aparelho está ligado.
———————————————————————————————————————-

Isca de Peixe Eletrônica

Este dispositivo emite um som que atrai peixes, as configurações de som são definidas por duas resistências variáveis, trimpots, que devem ser ajustadas para um melhor desempenho. Essa Isca Eletrônica pode utilizar fone de telefone, modificado para serem usados embaixo d´água. Usado o aparelho da seguinte maneira, de 5-10 segundos, a intervalos de 15-20 segundos.
———————————————————————————————————————-

Como testar display de LCD

Os displays de LCD (Cristal liquido) São comuns em quase todos os aparelhos eletroeletrônicos, eles trabalham pela mudança nas propriedades de reflexão (polarização) do filme de cristal líquido (líquido composto de cristais com propriedades específicas). Para torná-lo sinais precisamos de uma pequena tensão AC de poucos mA. A tensão DC se usada no mostrador de cristal líquido pode funcionar, mas irá danificar os segmentos do cristal  líquido.
O AC também é muito perigoso, é possível reduzir a corrente através de uma resistência variável RP 1.
———————————————————————————————————————-

Circuito de controle de Tenção por temperatura

Este circuito regula automaticamente a tensão ou a velocidade de um motor de um ventilador de PC, isso em função da temperatura, Um termistor deve ser preso ao local onde se deseja fazer a detecção de calor. O circuito irá manter o ventilador a uma velocidade baixa, enquanto a temperatura do dissipador de calor é mantido a um nível muito baixo, quando a temperatura sobe, a velocidade do ventilador também irá aumentar.
Além disso o circuito usa um LM317, regulador de tensão que suporta até 1,5A de corrente, já o termistor NTC é do tipo que diminui a sua resistência quando a temperatura aumenta a partir da sua superfície.
———————————————————————————————————————-

Circuito Mixer de Audio de Baixo Custo

 

Este é um pratico circuito que usa apenas um transistor e pode mixar  3 entradas de áudio com uma excelente qualidade. Este circuito além de ser de baixo custo, fácil de construir, também tem um consumo minimo, podendo ser ligado juntamente com o amplificador, transmissor, ou o equipamento gerador de áudio. Ele pode ser alimentado por uma bateria 9 volts e o seu componente principal é o  transistor BC109.
———————————————————————————————————————-

Circuito medidor de Intensidade de Campo

Este é mais um circuito de medidor de intensidade de campo, ele é ideal para testar a funcionalidade de pequenos transmissores de Rádio. O medidor mostra a presença de ondas de RF que vão de 100kHz até 100MHz. A indicação da intensidade de sinal pode ser medida através de um microamperímetro de 200µA.
———————————————————————————————————————-

Circuito Amplificador Valvulado

Elas voltaram! Sim cada vez mais tem aparecido circuitos, principalmente amplificadores utilizando Válvulas eletrônicas. O circuito acima é bem simples, ele é um amplificador de áudio valvulado, que utiliza apenas uma válvula ECL82. Ele é ideal para a utilização em toca discos antigos, ou ser acoplado a um receptor de rádio valvulado.
———————————————————————————————————————-

Circuito Amplificador de Audio usando TIP31

Este é um amplificador que usa transistores, e em sua saída ele utiliza um transistor TIP31. Com apenas 3 transistores ele tem uma excelente amplificação, além de ser econômico e fácil de construir,. Este projeto é ideal para iniciantes e os transistores BC549, BC307 e o TIP31C podem ser substituídos sem problema.
———————————————————————————————————————-

Circuito Simples de Controle de Velocidade de Motor DC

Não é difícil controlar a velocidade de um motor de corrente continua, mas muitas vezes não temos componentes na mão e só resta o improviso. Este circuito aproveita a queda de tensão através de ponte de díodos retificadores para produzir uma tensão variável para um motor de corrente contínua. Ele não é tão eficiente como um circuito comutador, mas tem as virtudes da simplicidade. As quatro pontes de onda completa estão ligados de modo a que cada um tem dois pares de díodos em série e em paralelo, que dá uma queda de tensão de cerca de 1,4 V cada, de acordo com a corrente de carga.
———————————————————————————————————————-

Circuito de Proteção contra Inversão de Polaridade usando Mosfet

O esquema de ligações acima é um circuito de Proteção contra Inversão de Polaridade de fonte usando Mosfet.  Ele é ideal para pequenos circuitos de baixo consumo, onde pode ocorrer inversões de polaridade acidentais. O circuito usa os transistores Mosfet, canal n para ligação a terra e canal p para ligação no positivo.
———————————————————————————————————————-

Circuito Indicador Bicolor de Estado do Fusível

Este Circuito é um Indicador luminoso  Bicolor do Estado do Fusível que  pode incrementar ainda mais sua fonte ou bancada, pois ele usa um Led Bicolor para indicar as condições do fusível do circuito. O fusível queimado o Led fica vermelho e o fusível em bom estado o Led é verde.
———————————————————————————————————————-

Circuito de Alarme de Interrupção de Luz

Este é um circuito muito útil que pode ser usado para diversas aplicações, como um alarme residencial, sistema de passagem industrial, etc. Ele consiste em um Led que emite uma luz para um fototransistor  quando a luz é cortada o IC 555 dispara, emitindo um som de alerta.
———————————————————————————————————————-

Circuito Detector de Movimento Infravemelho

Este circuito é um detector de movimento Infravermelho de baixo custo que pode ser usado em montagens com Arduino. Ele pode ser construído utilizando sucatas de videos K7, seus componentes principais são um fototransistor e um LED IR ,  seu desempenho é bom, podendo ser usados em montagens sem PCI.
———————————————————————————————————————-

Circuito Gerador de Indutância de 1000H

Indutores podem ser simulados facilmente usando amplificadores operacionais, o circuito acima foi desenvolvido para ter uma indutância de 1000 Henry. Usando este projeto você pode construir um circuito ressonante com uma frequência central de menos de 1 Hz. O comportamento lento permite que você use instrumentos de medição convencionais para pesquisar circuitos em tempo real. Ele pode também ser utilizado como parte de um filtro.
———————————————————————————————————————-

Circuito Descarregador de Bateria Simples

O circuito deste descarregador de bateria pode ser melhorada pela adição de um díodo Schottky (D3). Isto assegura que uma célula de NiCd não é descarregada para menos de 0,6-0,7 V, mas apenas menos de 1 V, tal como recomendado pelos fabricantes de baterias. Um efeito adicional é o LED D2 que pisca quando a bateria é ligada aos terminais e está com carga. O circuito é baseado num multivibrador astável operando a uma frequência de cerca de 25 kHz.

 

———————————————————————————————————————-

Fonte 12V sem Transformador

Muitos circuitos podem ser alimentados diretamente a partir de uma tomada, desde que se tome muito cuidado e com a ajuda de um capacitor em série (C1). A desvantagem desta fonte é que, geralmente, apenas meia onda da rede de distribuição pode ser usada para produzir uma tensão DC. Uma solução óbvia é a utilização de um retificador de ponte para executar a retificação de onda completa, o que aumenta a quantidade de corrente que pode ser fornecida e permite que o capacitor de filtro seja menor.
A corrente é de cerca de 15 mA. Um último aviso: este tipo de circuito é diretamente ligado à tensão da rede, pode ser letal. Você nunca deve entrar em contato com este circuito! É essencial alojar o circuito de forma segura numa caixa adequada.
———————————————————————————————————————-

Conversor 12Volts para 3Volts

Este é um circuito simples e barato para converter a tensão de 12V a uma tensão de 3 Volts que pode ser usado na alimentação de microcontroladores. penas alterações nos resistores de 270 ohms e 390 ohms podem fazer a saída de 3 volts chegar aos 3,3Volts que é mais adequada a alguns circuitos. A corrente deste circuito depende do tipo de LM317 que é usado, para correntes elevadas ele deve ter um  dissipador de calor adequado.
———————————————————————————————————————-

Projeto completo Inversor de Tensão

Este é um projeto de inversor de tensão DC/AC completo que possui rede de comutação e carregamento automático. Isso quer dizer que ele é ligado automaticamente logo que a rede elétrica cai, e ao retornar ele desliga e começa a carregar a bateria, isso automaticamente quando inversor de alimentação está desligado. Este projeto é baseado no oscilador Inversor 4047 e é um projeto completo.
———————————————————————————————————————-

Circuito Detector de Umidade

Este circuito é um detector de umidade muito simples e tem apenas alguns componentes e pode ser utilizado para a ativação de outros equipamentos eletrônicos. O sensor é construído a partir de dois pedaços de cobre, colocadas a uma curta distância um do outro. Quando a resistência elétrica do pedaço de cobre cair abaixo de um determinado valoro relé dispara. O circuito tem um baixo consumo e requer 5 V de alimentação DC.
———————————————————————————————————————-

Circuito Sensor Capacitivo

Este circuito pode ser usado para diversas utilidades como  por exemplo, uma chave eletrônica escondida,  ou qualquer dispositivo que precise apenas ser tocado para ser acionado. O relê pode ser ativado ao colocar a sua mão sobre a placa. Para uma operação apropriada, o terra do circuito deve ser eficiente, por isso a necessidade de ligação a uma tomada, a isolação é feita através de um capacitor. Cuidado a efetuar essa ligação!
———————————————————————————————————————-

Simples Detector de Eletricidade Estática

 O detector de eletricidade estática acima é muito simples, ele é usado para detectar campos elétricos próximos. Você pode facilmente demonstrar um campo estático, caminhando sobre um tapete e depois tocar a ponta do detector sobre ele. Quando o detector é colocado ao lado de uma televisão ou monitor de computador, ele é ativado pela alta tensão que acelera os elétrons no tubo de imagem.
Um 2N3819 que é um transistor de efeito de campo é utilizado como o sensor de campo estático. Um fio de terra ou pequena antena de rádio telescópica é conectado à porta do FET. O fio de fonte é ligado à terra e o fio de drenagem está ligado a um medidor de 0-1 mA.
———————————————————————————————————————-

Circuito de Fonte 12 volts para porta USB

Usando este circuito podemos converter 5V DC a partir da porta USB do computador para 12V DC. O coração deste circuito é IC LT1618 , conversor de tensão por impulso constante, o IC tem uma ampla gama de tensão de entrada de 1,8 a 18V DC e tensão de saída pode ser de até 35V DC. As resistências do circuito R1, R2 definem a tensão de saída. Pino 9 é o pino de desligamento, menos de 0,3 V a este pino irá desligar o IC.
2 e C3 deve ser de pelo menos 15V.
Menos de 0,3 V no pino de desligamento desativará o IC.
A tensão de saída é regulada pela equação seguinte R1 = R2 ((Vout / 1.263V) -1).
———————————————————————————————————————-

Inversor para Lâmpada Fluorescente 40 Watts

Este é certamente um circuito de baixo custo para quem quer fazer um inversor para lâmpadas fluorescentes de até 40W. Ele permite usar um tubo de lâmpada de 40 watts (ou dois tubos de 20 watt em série). Certamente é muito fácil de construir e não há necessidade da placa de circuito impresso. O transformador é uma barra de ferrite (de um rádio antigo) e o fio de enrolamento pode ser de um transformador velho.O diâmetro do  fio do enrolamento  primário pode ser de 0,28 mm e secundário 0,61 mm de diâmetro (diâmetros de fios não são críticos). Use fita isolante ou fita adesiva para separar os enrolamentos.
———————————————————————————————————————-

Mini Transmissor de FM DE 3v com Bobina na PCI

O circuito acima é um esquema e PCI de um transmissor de FM de 3Vdc que é uma solução simples para quem precisa de um transmissor de áudio de baixa potência. Ele transmite áudio usando um microfone de eletreto que é muito sensível e bem pequeno. A frequência do transmissor, conforme construída é ajustável por meio do capacitor de 15 pF, a bobina é incorporado na placa de circuito impresso e não precisa de ajustes.
———————————————————————————————————————-

Circuito de Alarme de Alta Temperatura

O acima circuito é um alarme que nos alerta quando existe um grande aquecimento, seu componente principal é o termistor TH1, sua resistência varia entre 10K a 25 ° C e cerca de 1K a 94 ° C. O alarme é ativado quando a temperatura é maior do que o padrão ajustada pelo usuário  O termistor deve estar localizado longe do resto do circuito e o circuito pode ser alimentado por uma bateria 9V ou uma fonte.
O ajuste pode ser efetuado por imersão do termistor TH1, na água que se sabe a  temperatura e ajustando o TR2 até  a temperatura desejada. O cabo que liga o circuito com o TH1 devem ser blindados.
———————————————————————————————————————-

Rádio AM usando Porta NAND

Este circuito de recepção de AM explora o comportamento de uma porta NAND como um amplificador de áudio. Este receptor é bem compacto e simples. Devido a sua antena de haste de ferrite, há um forte efeito direcional que permitem aumentar ou diminuir o volume do áudio (por vezes muito forte), virando o receptor para a esquerda ou direita em um plano horizontal. O potenciômetro de 4M7 é o controle de volume.
———————————————————————————————————————-

Simples Circuito Detector de Radioatividade

O Circuito acima é um Detector de Radioatividade, ou seja, também chamado de detector de radônio, radon ou radão, que é um gás radioativo liberado a partir do urânio, ele é invisível, insípido e inodoro. Encontra-se em concentrações variadas por todo o mundo. Alguns lugares têm níveis mais elevados de radônio do que outros, o que torna um detector de radônio uma precaução de segurança inteligente para todos.
———————————————————————————————————————-

Simples Circuito Receptor Escuta para Aviação

As comunicações entre aeronaves comerciais com o solo pode ser interessante, divertido e às vezes até mesmo curioso. No entanto rádios que recebem em frequências de 20MHz sté 400MHz, banda comumente usada para aviões (militares e comerciais) não são facilmente encontrados. E os scanners pode ser complicados, grandes e caros. Com esse circuito fácil de construir você pode escutar os aviões e outras dezenas de transmissões.
Lista de peças
R1, R3 47K Resistor 1/4W
R2 10K Resistor 1/4W
R4 Resistor 1/4W 47K
R5 5K Pot Taper Linear
R6 Resistor 1/4W 22K
C1, C2, C3, C6 Capacitor Disco 0.001uF Cerâmica
C4 Capacitor Disco 2.2pF Cerâmica
C5 1pF Capacitor Disco de cerâmica
C7 15UF capacitor eletrolítico 15V
C8 Capacitor variável 18pF
D1 Diodo 1N82
Q1 2N918 Transistor NPN
L2 Indutor 1.8uH
L1 é feito enrolando duas voltas de fio 22 AWG  um forma de 5/32 “broca”. Este indutor pode ser modificado para alterar o intervalo de frequência do circuito e R5 ajusta a sensibilidade.
———————————————————————————————————————-

Um simples receptor de Rádio Multibanda

Existem alguns projetos que são simples é bem funcionais, que apesar da simplicidade, quando montados dão uma satisfação imensa. Uma delas é a de rádios de galena ou  cristal, que atualmente não usam mais a galena, que foi substituída por diodos ou mesmo transistores.  Este circuito apresentado aqui é um receptor de cristal simples, com um estágio de amplificação AF.  Só que com um grande diferencial, ele abrange a faixa de radiodifusão AM, as bandas de HF e chega até parte do VHF, usando uma chave de onda e três bobinas diferentes em combinações.
Esse radio é tão simples que é possível brincar mudando as bobinas e seu nome original é Il Fido.
———————————————————————————————————————-

Super Ouvido Eletrônico Amplificado

Imagine um super Ouvido Eletrônica Amplificado que é capaz de captar sons super fracos, mesmo a longas distâncias. Este circuito pode detectar sons muito distantes. O coração do circuito é um amplificador de volume constante. Todos os sinais captado pelo microfone são amplificados a um nível constante de cerca de 1 volt pico-a-pico.
Deste modo os sinais de áudio são amplificados e as amplitudes elevadas são limitadas e as baixa são amplificadas. Esta operação é realizada por Q3, modificando a polarização de Q1 (daí o seu ganho CA) por meio de R2. Uma característica notável deste circuito é o funcionamento da bateria de 1.5V e uma corrente de 7.5mA.
———————————————————————————————————————-

Circuito Carregador de Pilha Alcalina

Mostramos aqui diversos carregadores, para diversos tipos de pilhas e baterias, mas esse é um circuito de carregador bem diferente, pois ele pode ser usado em  pilhas alcalinas. Essas pilhas são normalmente usadas por equipamentos que precisam de uma descarga de energia rápida e de alta corrente, como brinquedos, câmeras digitais, etc. A pilha alcalina tem uma  composição  eletrolítica de pasta básica de NaOH hidróxido de sódio, que tem alta condutividade elétrica, assim  conduz a energia mais rapidamente e fornece mais corrente.
———————————————————————————————————————-

Pisca-Pisca LED para durar 10 anos

Esse é um um pisca-pisca de LED super-eficiente, ele uso baterias alcalinas AA, que segundo seu criador deve fazer ele piscar durante dez anos contínuos sem precisar trocar as pilhas. Existem vários segredos para a eficiência do circuito. Talvez o mais importante e que o LED é diretamente alimentado por descarga capacitiva, o capacitor C2
———————————————————————————————————————-

Tacômetro Digital para Bicicleta

O circuito acima é de um tacômetro digital para bicicletas, ele usa 2 interruptores rele reed para coletar os dados de velocidade da bicicleta. Os ímãs permanentes são conectados na roda para ativar o reed a cada passagem . A velocidade é digitalmente exibida.
O circuito deve ser freqüentemente calibrado com o auxílio de um outro tacômetro pré-calibrada.
———————————————————————————————————————-

Lanterna Solar Portátil

O circuito acima é de uma lanterna solar portátil que usa painéis solares de 6 volts por 5 watts. Com a ajuda desse tipo de painel foto-voltaico, podemos construir um econômica lanterna solar bem simples, mas eficiente e verdadeiramente portátil. Ela usa um módulo de LED branco de alta potência (1watt).